quarta-feira, 16 de junho de 2010

Ele late

   Era uma criança tão reprimida e acima do peso, que se identificou com Pequena Miss Sunshine desde o trailler. Comia compulsivamente quando estava nervosa, engolindo tudo sem mastigar, sem sentir prazer. Quando estava relaxada, também comia compulsivamente, mastigando e salivando cada mordida do que quer que estivesse saboreando.
   Depois que assistiu o filme, passou uma semana assinando seus trabalhos da escola como Oliver, até levar uma advertência e ser levada ao psicólogo. Passou uma semana tomando sorvete de chocolate, e tinha certeza de que se existisse toda a moda dos waffles no Brasil, seria capaz de passar uma semana comendo waffles à la mode.
   Como encontrava conforto na comida, comparava tudo o que gostava às suas comidas preferidas. Hanna Montana tinha cabelo de espaguete, seu travesseiro era macio como um marshmalow, e o Wii era branco como a cocada branca da avó.
   A mãe, preocupada com a menina, mas sem tempo bastante para lhe dar atenção, resolveu seguir os conselhos da vizinha: Comprou um bicho de estimação. Quando chegou com o cachorro em casa, sabendo da fixação da filha, propôs:

   - Ele é seu com uma condição. Você tem que parar de falar de comida o tempo todo, e só vai comer o que eu deixar. Ah! E quem dá comida pra ele sou eu - ela acrescentou, temendo que a filha criasse uma paixão especial pela ração do cachorro.

   A menina pensou e pensou, e ainda pensou mais um pouco, até que decidiu aceitar. O esforço era muito, mas filhotinhos sempre tocam o coração da gente, principalmente se a gente for uma criança com alguns problemas.
   Mas ela não era boba. Se fosse boba, ora bolas, não teria tirado 10 em matemática. Prometeu à mãe que pararia de falar em comida, mas ninguém poderia impedi-la de pensar.

   - O nome dele é Xôco.
   - O quê?
   - Xôco, igual aquele desenho japonês, lembra?
   - Lembro, claro - é claro que a mãe não lembrava, mas não poderia deixar a filha perceber que ela dormia sempre que as duas viam televisão juntas. A filha não entenderia seu cansaço e poderia se ofender.
  
   Pronto, estava escolhido o nome do bassê. Foi correndo pro quarto, escrever no diário.
  
Querido diário,
     Minha mãe me deu um cachorrinho hoje, e eu fiz esse poema pra ele.

Ganhei um cachorro
Ele é lindo, ele late
Ele se chama Xôco
Xôco é lindo, Xôco late

7 comentários:

Orlando Camargo disse...

Você é tarada por chocolates, por cachorros ou curte, como eu, um trocadilho maroto?

Monalisa Marques disse...

Se isso fosse uma afirmação e no lugar do "ou" tivesse um "e", vc estaria triplamente certo.

Blei disse...

Ahhh adorei, Mona! Dps eu te conto o final alternativo que eu pensei pra sua história! =) Um beijinho!

Blei disse...

Ahhh vc tem que aprovar antes! Que ditadora, tirando minha liberdade de expressão! =p Eu achei que tinha dado pau e escrevi de novo!

vinhu disse...

trocadalho do carilho digo digo trocaralho do cadilho digo digo ah deixa pra lá!!! Legal o Blog!

Alexandra Gurgel disse...

Essas pessoas que perguntam se você gosta de trocadilho REALMENTE não te conhecem.

Aiai, super divagações monalescas.

Muito bom.

Antonoly disse...

A menina foi criativa, pois poderia continuar com a sua fixação por comida através de seu cãozinho Xôco.

Monalisa, obrigado por seu comentário, também aprecio demais o seu blog. Vou te linkar.

beijos!

eXTReMe Tracker

  © Blogger template Shush by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP