segunda-feira, 28 de julho de 2008

Coordenadas

Ao contrário do óbvio, seres menores são mais fáceis de se encontrar, desde que haja alguma referência. Dom Camarão, por exemplo. Por ser um ponto, ele está sempre em algum lugar. "Dom Camarão está no Coral 76, setor Laranja". Mas imagine os outros animais. Pense só como é difícil estabelecer as coordenadas de um polvo. Cada tentáculo está em um Coral diferente, ele é praticamente um asterisco.

E foi exatamente este problema que determinou a solteirisse infinita de Dona Baleia. Ela não era ponto nem asterisco, era reta, e como tal se identificou assim a seu pretendente:

- Querido, estou a partir do Coral Azul 21. Venha me ver.

Mas, enquanto esperava, passou uma corrente de água fria. E o seu próprio espirro funcionou como uma turbina. O jato foi para um lado, e Dona Baleia foi impulsionada para o outro. Saiu do lugar.
Quando o pretendente chegou, não a encontrou. Até nadou em circunferência a partir do ponto de encontro num raio de 30 metros, que era o que a sua amada media, mas só conseguiu alguns quilinhos de plâncton.

E, sabe, baleias não são como os seres humanos. Não saem beijando qualquer um - e apesar da possibilidade disto se dever ao fato de que baleias adultas não cabem nas boates do fundo do mar, não podemos negar como esse comportamento é admirável.
Quando as baleias amam, amam para a vida toda. Não acaba. É impossível substituir. E quando seus amores não comparecem a um encontro, a depressão é tão grande, tão colossal, tão pesada, que elas simplesmente desistem de viver. E o parceiro fica só a vida toda.

Por isso, Dona Baleia agora é titia. E só.

2 comentários:

Mariana disse...

Nossaa!!!!!!!!!!

Vc nem sabe o quanto essa história me tocou.. sério!! vou recomendar lá no blog!!!!!

beijos

julio de castro disse...

menina, que coisa.

eXTReMe Tracker

  © Blogger template Shush by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP