sábado, 20 de outubro de 2007

Três reais por uma alface no lixo - pura hipocrisia

Dentre tantas coisas absurdas que acontecem por aí, encontrei uma delas durante esse último feriado, em Minas Gerais. São João Del Rei é uma cidadezinha cuja atividade principal é o artesanato do tipo pano: se você estiver precisando de alguma coisa que seja feita de pano, pode comprar lá.

Acontece que, dependendo da quantidade de horas que você gastar andando de lojinha em lojinha, comparando os preços (iguais) dos artigos, você pode ficar com uma fome incrível - daí é preciso procurar algum restaurante. Pergunta daqui, pergunta daqui, acabou que as cinco pessoas questionadas quanto ao melhor restaurante da região indicaram o mesmo lugar. Fomos pra lá, e que decepção.

Primeiro, não havia água no local, de forma que ninguém lavava as mãos antes de comer; provavelmente, não lavavam as folhas de alface também, e como eu sou viciada em alface, já não havia possibilidade alguma de eu almoçar ali. Segundo, havia umas dez placas espalhadas pela parede amarela, além de páginas A4 nas mesas, onde se lia em todas elas (placas e páginas): "Taxa de desperdício R$3 reais".

Fiquei com raiva desse "R$3 reais". Ou uma coisa, ou outra, droga! O erre-cifrão dispensa completamente o reais, será que ninguém sabe disso? E que absurdo é esse de cobrar uma taxa pelo desperdício? A comida já vai para o prato perfeitamente paga e concedendo os lucros devidos ao restaurante. Santa ganância! E invasão de privacidade também - se eu já paguei a comida, ela é minha e está completamente submissa ao que eu quiser fazer com ela.

E não me venha com o papo de que estão pensando na fome do mundo, porque eu tenho certeza absoluta que os três reais da taxa vão para o bolso do dono do restaurante, e dali direto para alguma forma de lazer - ou seja, nada de beneficência.

Ah, que raiva! Mas a única coisa que eu pude fazer foi dizer um "que absurdo!" enquanto apontava as placas, e procurar algum outro lugar para almoçar. E quer saber? Eu achei um lugar ótimo. Sem placas e sem larvas nas folhas de alface.

4 comentários:

orlando camargo disse...

Por essas e por outras que eu não concordo quando dizem que a voz do povo é a voz de deus.

Quanto ao teste de vício em blogar, o meu deu, aacho, 58%.

Quanto ao furo na orelha, ficou legal mesmo!!!

Bjs!

Daniel Moura disse...

oi linda...
eu quero sim trocar links.... vc ja esta linkada no meu blog...

bjs...

alex_cardoso disse...

Mas, a final de contas, quem está com a razão? Acho que esse caso é bem típico de um País onde a hipocresia impera em muitas situações. Quando possuimos algo, ou compramos, temos o direito de fazer o que bem entender; jogar fora, dar pra alguém ou seja lá o que for. É o que eu digo, vai da consciência de cada um.

Seu blog tá show, adorei...bjinhos
fui que fui!

Will disse...

huahuahuah muito bom....você como carioca deve ter repardo que S. João Del Rei...é a cidade mais carioca em Minas Gerais....Meus tios são de lá...e o sotaque é inteiramente de carioca...rsss



você acha mesmo que a tv é um meio dos aduldos se desligarem do mundo? Eles já foram ligados?


e que "Resta a nós decidirmos se seremos ou não manipulados"? sabem que são manipulados?


heheheh por último...


vc linkou o blog de filmes (Filmes a qualquer preço) mas colocou o nome do meu blog...mesma mesmice de sempre...uauhahuahuahua


Bjinhos....vc escreve mto bem

eXTReMe Tracker

  © Blogger template Shush by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP